A renovação de contrato de aluguel pode ser uma negociação delicada e que exige bastante habilidade do corretor. Isso porque muitas vezes o inquilino e o proprietário não chegam a um consenso sobre valores ou outras atualizações de cláusulas contratuais.

Assim, o corretor precisa seguir algumas boas práticas para facilitar o processo e garantir a renovação que proporcionará um ganho recorrente a ele — além da satisfação de todos. Neste artigo, abordaremos esse assunto e daremos algumas dicas para o corretor conseguir a renovação de contrato de aluguel.

Quer ter mais sucesso na intermediação do acordo entre inquilino e proprietário? Então, siga com a leitura!

Apresente as vantagens da renovação de contrato de aluguel

Em primeiro lugar, o corretor precisa mostrar para os clientes que um imóvel desocupado por tempo indeterminado não é interessante para ninguém. Ou seja, que mais vale um bom inquilino garantido (que paga o aluguel em dia e mantém o imóvel em bom estado) do que iniciar todo o trabalho de captação de um novo morador para o imóvel.

Da mesma forma, o diálogo com o inquilino precisa detalhar que fazer mudanças é um processo incerto — que pode, inclusive, trazer traumas de adaptação para toda a família. Portanto, é mais benéfico se manter em um imóvel onde todos já se sentem confortáveis.

Tenha qualidade no atendimento

A preocupação com o aperfeiçoamento constante no atendimento deve ser uma meta para o corretor de imóveis. E quando falamos em renovação de contrato de locação, esse cuidado precisa ser dobrado.

Existe uma regra muito famosa chamada “princípio de Pareto” que mostra a grande relevância da retenção de clientes em uma empresa. Nessa regra, 20% dos clientes são responsáveis por 80% do faturamento do negócio.

Se transportarmos esse princípio para o mundo dos corretores de imóveis, veremos a importância de fidelizar inquilinos ao estimular a renovação dos contratos de aluguel para continuar obtendo ganhos desses clientes fidelizados.

Para tanto, o corretor precisa oferecer um atendimento ao inquilino e ao proprietário sempre cortês e focado em resolver os seus problemas. Uma dica aqui é sempre perguntar aos clientes o seu grau de satisfação e o que pode ser melhorado em uma próxima abordagem.

Informe o reajuste no momento certo

Para a negociação ocorrer de maneira clara, é importante que o corretor se antecipe ao reajuste e faça o cálculo baseado no índice previamente acordado em contrato (IGPM, IPCA, FGV etc).

Além disso, ele pode realizar pesquisas de mercado para traçar uma média de preços das locações na região. Assim, ele estará apto a adiantar o diálogo e evitar que tanto o inquilino quanto o proprietário sejam pegos de surpresa.

Tenha em mente que o corretor pode negociar a intermediação. Para tanto, ele precisa estar preparado e munido de informações de mercado na hora do reajuste.

Caso a renovação ocorra sem reajuste — isso normalmente acontece nos casos em que o proprietário aceita manter o valor para não perder o inquilino —, o corretor deve orientar as partes sobre todo o procedimento. Por exemplo, informar os termos e cláusulas que precisam ser atualizadas no novo acordo para evitar problemas no futuro.

Aqui, cabe lembrarmos que após 3 anos de contrato, tanto o inquilino quanto o proprietário tem direito a solicitar uma revisão no valor do aluguel. Para o caso do proprietário do imóvel, normalmente é exigida a revisão quando ele considera o valor muito abaixo da média de mercado.

Já o inquilino o faz se julgar o preço do aluguel abusivo. Nessas situações, mais uma vez, o corretor é uma peça importante para intermediar a conversa e apontar o melhor caminho para as duas partes.

Fonte: https://www.ingaia.com.br/como-garantir-a-renovacao-de-contrato-de-aluguel/